Livros | O Malabarista

O Malabarista O malabarista é dividido em duas partes. A primeira, “Infância”, mais poética, traz textos sobre o pai, a mãe, o avô, a iniciação sexual, o pecado, a classe média nos anos 50 e 60, as primeiras lembranças, a vida no subúrbio. A segunda, “E depois...”, marca a entrada na vida adulta, simbolizada pelo incêndio da UNE, logo após o golpe militar, quando termina a esperança de que o socialismo virá. É o fim da ilusão. Surgem os grandes temas: economia, corrupção, amor, violência, cultura.No livro, o autor lança sua ironia costumeira e seu olhar cinematográfico para uma variada galeria de tipos. Há o menino que equilibra bolas de tênis no sinal e provoca uma mescla de sensações, como incômodo, culpa, impotência, compaixão, irritação e desesperança. Há também o dono da clínica onde morreram dezenas de pacientes, autor de máximas como “miséria é mercado” e “quem não mata não vive”. E há ainda o mendigo de quem se esperam filosofias de vida e só se ouvem resmungos sem sentido, frases cifradas e risos debochados.O malabarista mistura denúncias de mazelas sociais, análises políticas, confissões sexuais, memórias de infância e lembranças afetivas. Jabor consegue focalizar da base ao topo da pirâmide, traçando um painel variado do país, do mundo e dos sentimentos humanos.

PERFIS OFICIAIS
NAS REDES SOCIAIS

Siga o Arnaldo Jabor nas redes sociais e acompanhe os seus artigos, vídeos e novidades.

Livros

Sanduíches de realidade - Livro de Arnaldo Jabor
Sanduíches de realidade
"Um almoço nu é natural para nós, que comemos sanduíches de realidade. Mas, as alegorias têm alfaces demais. Não esconda sua loucura." (Allen Ginsberg) Arnaldo Jabor resolveu passar toda a sua lúcida loucura em pratos limpos. Daí resultaram as finas iguarias sobre um país c
Amor é prosa, sexo é poesia - Livro de Arnaldo Jabor
Amor é prosa, sexo é poesia
Os textos de Arnaldo Jabor têm o poder de despertar, inquietar, polemizar. Ácidos, líricos, deliciosamente vorazes, estão sempre sintonizados com os assuntos que mexem com a vida dos brasileiros e brasileiras. ’Amor é prosa, sexo é poesia’ reúne suas melhores crônicas sobre nossas o

Filmes

Eu sei que vou te amar - Filme de Arnaldo Jabor
Eu sei que vou te amar
Conta a história de um casal recém-separado após seis anos de casamento, que marca um reencontro depois de três meses sem se ver. O cenário é o novo apartamento dele. A ansiedade e o estranhamento inicial manifestados em gestos contidos e frases pensadas, vão aos poucos dando lugar a um turbilh&atild
Toda nudez será castigada - Filme de Arnaldo Jabor
Toda nudez será castigada
Toda Nudez Será Castigada é um filme brasileiro lançado em dezembro de 1972, dirigido por Arnaldo Jabor, e produzido pela Produções Cinematográficas Roberto Farias, baseado na peça de teatro homônima de Nelson Rodrigues. O filme teve um público de 1.737.151 espectadores, sendo o quarto
DESENVOLVIDO POR CRIAMIX MKT|DZN